Vilmar Debona

Prof. Dr. Vilmar Debona. Doutor em Filosofia pela Universidade de São Paulo (USP) com doutorado sanduíche na Università del Salento (Itália). Professor do Departamento e do Programa de Pós-Graduação em Filosofia da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Editor Chefe da Ethic@: An International Journal for Moral Philosophy. Cofundador e editor associado da Voluntas: Revista Internacional de Filosofia. Membro da atual Diretoria da ANPOF, membro-associado da Schopenhauer-Gesellschaft (Frankfurt a.M.) e da sua Seção Brasileira, pesquisador colaborador do ‘Centro Interdipartimentale di Ricerca su A. Schopenhauer e la sua Scuola’ (Lecce). No biênio 2017-2018 coordenou o GT Schopenhauer da ANPOF e compõe o seu núcleo de sustentação. Além de se ocupar há muitos anos com a filosofia schopenhaueriana e com suas recepções nas culturas contemporâneas, dedica-se atualmente a temas mais amplos de (i) pessimismo e questões sociais, (ii) teorias do sofrimento individual e social e (iii) interseções entre Moralidade e Literatura. É pesquisador membro do Núcleo de Ética e Filosofia Política da UFSC (NÉFIPO) e líder do Grupo de Pesquisa Moralidade, Literatura e Sociedade (GPEM – UFSC/CNPq).

Temas: Pessimismo e questões sociais; Teorias do sofrimento individual e social; Tópicos de interseções entre Filosofia Moral e Literatura

Constelação de Autores: Arthur Schopenhauer, Friedrich Nietzsche, Paul Rée, Matias Aires, Lou Andreas-Salomé, Max Horkheimer, Georg Simmel, Hannah Arendt.

Linha de Pesquisa: Fundamentação da Ação Moral.
Projeto atual de pesquisa: Estatutos filosóficos do sofrimento e dos seus ‘antídotos’: entre Schopenhauer e Horkheimer.

Curriculum Lattes

Orcid: 0000-0002-0411-3358

Google Scholar

E-mail

Livros publicados/organizados ou edições

1. DEBONA, V.; BUDÓ, M. D.; PEREIRA, A. R. (Org.). Ensaios de resistência: retrocessos, denúncias e apostas sobre o Brasil golpeado. 1. ed. Belo Horizonte: Editora Dialética, 2020. 250 p.

2. DEBONA, V. A outra face do pessimismo: caráter, ação e sabedoria de vida em Schopenhauer. Prefácio de Domenico M. Fazio. 1. ed. São Paulo: Edições Loyola, 2020. 360p.

3. DEBONA, V. Schopenhauer. 1. ed. São Paulo: Ideias & Letras, 2019. 168p (Coleção Pensamento Dinâmico).

4. DEBONA, V.; DECOCK, D. C. (Org.). Schopenhauer: a filosofia e o filosofar. 1. ed. Porto Alegre: Editora Fi, 2018. 227p.

5. DEBONA, V.; CORREIA, A.; TASSINARI, R. (Org.). Hegel e Schopenhauer. 1. ed. São Paulo: ANPOF, 2017. 325p.

6. DEBONA, V.; MATTOS, F. C.; HULSHOF, M.; RAMOS, F. C.; FONSECA, E. R. (Org.). Dogmatismo e antidogmatismo: filosofia crítica, vontade e liberdade. Uma homenagem a Maria Lúcia Mello e Oliveira Cacciola. 1. ed. Curitiba: Editora UFPR, 2015. 380p.

7. DEBONA, V. Schopenhauer e as formas da razão: o teórico, o prático e o ético-místico. Prefácio de Maria Lúcia Cacciola. 1. ed. São Paulo: Annablume, 2010. 144p.

Principais capítulos de livros

1. DEBONA, V. Lebensweisheit, destino e fatalismo nel Mondo e negli Aforismi – un’aporia?. In: Fabio Ciracì; Armando Mascolo. (Org.). Schopenhauer e la Lebensphilosophie. 1ed.Napoli: Diogene Edizioni, 2019, p. 36-47.

2. DEBONA, V. A teoria da ação humana de Schopenhauer como grande e pequena ética. In: Francesco Giordano; Mario Carparelli; Simona Apollonio. (Org.). Per mari inesplorati. Studi in onore del Prof. Domenico M. Fazio. 1ed.Lecce: Pensa MultiMedia, 2017, p. 187-213.

3. DEBONA, V. A caracterologia como fio condutor dos fundamentos empírico e metafísico da compaixão em Schopenhauer. In: Ruy de Carvalho; Gustavo Costa; Thiago Mota. (Org.). Nietzsche e Schopenhauer: metafísica e significação moral do mundo. 1ed.Fortaleza: EdUECE, 2015, p. 145-164.

4. DEBONA, V. Considerações sobre o ‘ponto de vista eudemonológico’ da filosofia schopenhaueriana. In: Debona, V.; Ramos, F. C.; Mattos, F. C.; Hulshof, M.; Fonseca, E. R.. (Org.). Dogmatismo e antidogmatismo: filosofia crítica, vontade e liberdade. Uma homenagem a Maria Lúcia Mello e Oliveira Cacciola. 1ed.Curitiba: Editora UFPR, 2015, p. 337-352.

5. DEBONA, V.  BARBOZA, J. ; DECOCK, D. C. Para além da ética racional: considerações sobre a ética animal. In: César Candiotto. (Org.). Ética: abordagens e perspectivas. Curitiba: Champagnat, 2010, p. 143-164.


6. DEBONA, V. . Intuição e música: o descrédito da razão em Schopenhauer e Nietzsche. In: Antonio Edmilson Paschoal; Wilson Antonio Frezzatti Jr.. (Org.). 120 anos da Genealogia da moral. 1ed.Ijuí: Unijuí, 2008, p. 347-362.

Principais artigos em periódicos científicos

1. DEBONA, V. Bemerkungen ou Beobachtungen? Sobre as ‘observações psicológicas’ de Schopenhauer e Rée. Trans/Form/Ação (UNESP), v. 42, p. 153-178, 2019.

2. DEBONA, V.  Denunciar ídolos: uma tarefa filosófica. Ethic@ (UFSC), v. 1, p. 85-108, 2019.


3. DEBONA, V. Caráter adquirido, sociabilidade e a moral do ‘como se’ (Als-Ob) em Schopenhauer. Trágica: Estudos sobre Nietzsche, v. 9, p. 84-102, 2016.


4.DEBONA, V. Educação e moralidade em Schopenhauer. Princípios, v. 23, p. 261-286, 2016.


5. DEBONA, V.
A presença da literatura nos ‘argumentos’ de Schopenhauer a favor da primazia da vontade sobre o intelecto. Voluntas: Revista Internacional de Filosofia, v. 7, p. 111-123, 2016.

6. DEBONA, V.; DIAS, C. A.; JAREK, M. Brief observations on the notion of ‘saudade’: cultural symbol and paradox. H-ermes. Journal of Communication, v. 8, p. 7-18, 2016.


7. DEBONA, V. Pessimismo e Eudemonologia: Schopenhauer entre pessimismo metafísico e pessimismo pragmático. Kriterion (UFMG. Impresso), v. 57, p. 781-802, 2016.

8. DEBONA, V. Caráter, liberdade e ‘Aseität’: sobre a assimilação das noções de caráter inteligível e caráter empírico de Kant por Schopenhauer. Kant e-Prints (Online), v. 11, p. 32-50, 2016.


9. DEBONA, V.  A grande e a pequena ética de Schopenhauer. Ethic@ (UFSC), v. 14, p. 36-56, 2015.


10. DEBONA, V. A propósito da noção de “caráter”: as presenças de Kant e Schelling na tese de doutorado de Schopenhauer. Cadernos de Filosofia Alemã, v. 20, p. 67-85, 2015.


11. DEBONA, V.; CACCIOLA, M. L.; SALVIANO, J. Geschichte und aktuelle Situation der Schopenhauer-Studien in Brasilien. Schopenhauer-Jahrbuch, v. 96, p. 155-160, 2015.

12. DEBONA, V. A razão prático-pragmática de Schopenhauer. Sofia, v. 3, p. 233-254, 2014.


13. DEBONA, V. Um caráter abissal – a metafísica schopenhaueriana da Vontade como caracterologia. Voluntas: Revista Internacional de Filosofia, v. 4, p. 33-65, 2013.

14. DEBONA, V. Para não figurarmos como produtos de fábrica: Schopenhauer, Nietzsche e as noções de “caráter adquirido” e de “tornar-se o que se é”. Estudos Nietzsche, v. 4, p. 157-180, 2013.

15. DEBONA, V. Tra determinismo e libertà: aspetti del concetto di ‘carattere’ in Kant e Schopenhauer. Kant e-Prints (Online), v. 5, p. 49-59, 2010.

16. DEBONA, V. Schopenhauer e Machado de Assis: um diálogo entre filosofia e literatura a partir do romance Quincas Borba. Espelho: Revista Machadiana (Porto Alegre/West Lafayette), v. 10/11, p. 51-74, 2007.